PROJETO DE TROCA DE ARMAMENTO DOS VIGILANTES

Por Ana Roberta – Edição de 29/10/2018 – Fonte: Bom dia Contrasp

Novas emendas ao PLS 16/2017 também proporcionam, mediante treinamento, a utilização da pistola .380 pelo vigilante

O PLS 16/2017, que permite armamentos de calibres maiores aos vigilantes patrimoniais e de carro-forte, recebeu o Relatório do Senador Cidinho Santos, com voto pela aprovação do Projeto. Com duas emendas, o Projeto é fruto de intenso trabalho da CONTRASP em defesa da vida do vigilante, e segue para a Pauta na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania.

“O Projeto é jurídico, pois atende aos requisitos de adequação da via eleita, generalidade, abstração, coercitividade, inovação e aderência aos princípios gerais do Direito” firma o Relatório, acrescentando ainda que o objetivo é dar uma chance de defesa e sobrevivência aos vigilantes.

Emendas

O PLS 16/2017 autoriza ao vigilante o uso da pistola calibre .40 e, quando em transporte de valores, o fuzil 5,56mm. As emendas no Relatório abrem o leque de opções no rol de armas a serem usadas pelos vigilantes, incluindo, ainda, pistolas .380. Em todos os casos, o profissional precisa ser aprovado em treinamento para manuseio e os armamentos devem ser de fabricação nacional.

Afinal, de acordo com a Pesquisa Nacional de Ataques a CarroForte, elaborada pela CONTRASP e indicada no Relatório, o número de ataques sobe constantemente com números alarmantes. E o poder de fogo dos criminosos nos sinistros é muito superior ao dos profissionais, resultando no massacre de vigilantes. É mais um passo rumo à vitória e em defesa a tantos trabalhadores que são chacinados em serviço. Seguimos no trabalho diário em compromisso e não descansaremos até que a os vigilantes do Brasil tenham o direito de proteger a própria vida.

Acompanhe: https://www25.senado.leg.br/ web/atividade/materias/-/materia/12803

 

 

 

Comments